.

sábado, 7 de setembro de 2019

Vale a pena levar cartão de crédito em viagem internacional?

By
Compras em viagens é um dos motivos para planejamento de alguns destinos e também uma das formas de adquirir lembranças e até mesmo presentes diversos de outros países, principalmente com a variedade de utilitários que são comercializados em viagens internacionais em diferentes estabelecimentos, principalmente voltados para os turistas da região.

Na hora de planejar as compras da viagem, é necessário observar qual método de pagamento deseja utilizar, escolhendo um serviço que realmente valha a pena para o momento financeiro do viajante, assim como enquadre-se em seu planejamento e disponibilize benefícios no momento da quitação de dívidas. O cartão de crédito é um dos principais escolhidos para as viagens, porém vale a pena carregá-lo consigo nesses passeios?
cartão de credito
Foto reprodução: https://www.infovarejo.com.br


Benefícios do cartão de crédito em viagem internacional


As principais vantagens de carregar o cartão de crédito em viagem internacional é que o método de pagamento é um dos mais práticos e rápidos no momento do pagamento dos serviços ou mercadorias, afinal o mesmo é aceito em uma diversidade de estabelecimentos.

A segurança do cartão de crédito ao invés de carregar consigo dinheiro físico também é um dos benefícios do método de pagamento, afinal não é necessário fazer o câmbio dos valores para a moeda que é aceita no país de destino, sem a necessidade de carregar valores físicos, permitindo que o cartão já realize essa transação imediatamente para a cobrança dentro dos padrões aceitos em cada local.

Desvantagens do cartão de crédito em viagem internacional


Ainda que o cartão de crédito disponibilize uma série de benefícios para os utilizadores em viagens internacionais, é necessário ressaltar que há algumas precauções que o cliente deverá tomar ao utilizar o método de pagamento, principalmente em relação às taxas que são aplicadas. Ao realizar uma compra com o cartão de crédito, é cobrado um valor de câmbio para que a instituição transforme a moeda tradicional para a aceita no país, aplicando o IOF, este que gira em torno de 6,38% sob o valor do produto ou serviço adquirido.

Muitas instituições ainda atuam com a conversão da moeda feita no fechamento da fatura, o que pode ser pouco maior ou menor em relação com a data que o item foi efetivamente comprado, muitas vezes com surpresas que podem ser indesejadas no momento da quitação das dívidas. Alguns bancos já atuam com a conversão no momento da compra.

xxx




Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário